Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



As medidas de Seguro, será a alternativa (ps) que todos esperamos? (part II)

por ., em 21.05.14

 

A continuação do meu comentário às medidas do Seguro, quem não viu a primeira parte pode ver aqui

 

 

9.- Não aumentar a carga fiscal na próxima legislatura. "Será a primeira vez que um Governo empossado neste século não aumentará a carga fiscal", prometeu Seguro.

 

 

Mais uma vez qual o fundamento? Tendo uma divida brutal, estando completamente dependente dos mercados, com prováveis crises politicas internas a acontecer no futuro em Portugal e os juros a subir, como é que ele sabe que pode cumprir esta promessa, não sabe, mas isso é politica. 

O facto de ele dizer esta afirmação, significa que concorda com o aumento dos ultimos anos na Carga Fiscal, que foi necessária mas que já não é preciso aumentar mais, se assim não fosse, deveria ter dito que , iria baixar a enorme carga fiscal presente em Portugal. 

 

 

10.- Na Saúde, separação entre o sector público e privado: profissionais de saúde têm de trabalhar em exclusividade para o Serviço Nacional de Saúde. Será feito de forma gradual, isto é, só se aplica aos profissionais recém-formados.

 

Aqui poderei estar de acrodo, é necessário acabar com a facilitismo dos médicos poderem receber dinheiro do público estando a trabalhar no privado. Mas acho que deveria de ser para todos e não só para os profissionais recém-formados. 

 

 

11.- Na Educação, reduzir a taxa de abandono escolar dos actuais 20% para 10% durante a próxima legislatura.

 

Blá, blá, blá.... e "acabar" com os sem abrigo em Portugal, reduzir a criminalidade em 100%, acabar com o desemprego jovem..... Por essa teoria também posso ser um bom politico, é necessário explicar como pretende fazer, dito assim eu não acredito

 

12.- O PS recusa o plafonamento das contribuições para s Segurança Social.

 

Aqui acho que é urgente fazer alguma coisa. Haver limites máximos nas reformas (de 3000€ por exemplo), haver possibilidade de escolha entre descontar para o público ou o privado. Acho que é necessário mexer na Segurança Social, estudar várias alternativas, ter em conta as pessoas que não confiam no estado e por isso não querem descontar para ele... Mudar, encontrar alternativas para que os Jovens ainda possam ter esperança em poder vir a receber um reforma. 

 

13.-No âmbito da consolidação das contas públicas, o Partido Socialista compromete-se a cumprir as metas do Tratado Orçamental, alcançando uma meta de 0,5% do défice a médio prazo. Seguro defendeu ainda a necessidade de "renegociarmos as condições da dívida pública".

 

Esta medida é muito difícil tendo em conta as outras medidas apresentadas anteriormente, mas não quer dizer que seja impossível. Neste ponto estou de acordo com o Seguro, acho que devemos, como ele sempre defendeu, tentar negociar a nossa dívida pública que é insuportável e é impossível de pagar, tentar não custa. Mas talvez devêssemos ter tentado negociar quando não estávamos dependentes dos mercados como agora estamos. 

 

 

14.- Promover a reforma do Estado: olhando para a Administração Pública, promover de forma mais eficiente os seus recursos, alterando os processos, mas sem fazer cortes.

 

Promover a reforma do Estado? o que é que isso significa? o que é que se pretende dizer com "promover"? Ou se faz ou não se faz, sempre me lembro de ouvir falar na reforma do estado, pois bem, esta reforma já dura à muitos anos e acho que a devemos de a concluir, ou neste caso iniciar. Acha que a Administração Pública funciona mal, que deve ser melhorada, que se deve aplicar modelos de gestão mais eficientes, que se deve tirar melhor partido dos recursos, principalmente dos recursos humanos da administração pública. Neste caso, até acho que se poderia ponderar ser um consultora externa a fazer isto, desde que os resultados justificassem o custo, mas que como as coisas funcionam muito mal acho que poderia justificar com uma maior eficiência. 

 

 

15.- Defender uma nova agenda europeia: Seguro defendeu a criação de novos instrumentos que combatam a especulação dos mercados, um papel mais activo do BCE, a mutualização de parte da dívida e garantias de acesso ao crédito para empresas portuguesas comparáveis às de outros Estados-membro.

 

Eu concordo, acho que deveria de haver instrumentos que protegem-se a instabilidade de alguns estados-membros, mas isso não quer dizer que depois podemos cometer os erros que quisermos, porque como sabemos, os outros estados-membros querem tirar proveito desta situação. 

Já que falamos na Europa e que vem ai eleições europeias, acho estupido, bizarro.... ser apenas um país a mandar na Europa. Tambem, acho que se deveria apressar as coisas para que todos os cidadões europeus tenham exatamente as mesmas condições, não só no acesso à saúde, mas educação... com livre circulação e em toda a Europa, com um sistema fiscal comum, com um sistema de reformas comum.... 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:01




"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo."

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Maio 2014

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031