Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


As novas propostas de Costa

por ., em 07.02.16

Costa: "Usem mais transportes públicos”, "deixem de fumar” e "moderem” recurso ao crédito

Aumentar o tabaco sem tomar medidas de apoio para deixar de fumar não é o mais correto, aumentar os combustiveis sabendo que é nas zonas mais isoladas e no interior do país que existe uma população mais pobre e mais envelhecida e que por e simplesmente não tem transportes públicos é apenas criminoso, (e estamos a falar  de grande parte do território português, que o sr Costa desconhece)

 

Polémicas á parte, austeridade escondida, orçamentos bons e orçamentos maus, tudo serve para aumentar a desigualdade entre a função pública e o privado. 

 

Ou as 35 horas é para todos ou não é para ninguém. Em 2015, ano em que a função pública reclamou por serem os coitadinhos e os mais afetados, em média ganharam 1621 euros enquanto que no privado em média se ganhava 1140,37 (incluindo complementos). É uma diferença de 481 euros, num mês ganhar mais 481 euros não me parece muito igualitário. 

 

Então, o certo não seria tentar que o sector privado e público trabalhassem as mesmas horas e principalmente que no sector privado os ordenados se aproximassem de os do setor público? em vez de fazer exactamente o oposto e aumentar a desigualdade?

 

Então e como se vai combater o desemprego jovem em que perto de metade dos jovens não conseguem emprego?

 

E como se vai resolver a pobreza, uma vez que quem não trabalha e já não pode receber subsidio de emprego apenas ganha um subsidio abaixo dos 200 Euros?

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:40

O desemprego em Portugal e na zona Europeia.

por ., em 01.10.13

 

Foi revelado a taxa de desemprego em Portugal que é de 16,5% em Agosto, havendo uma descida face ao mês de Julho que era de 16,6%.

 

Não me parece que sejam dados muito animadores, uma vez que o mês de Agosto é conhecido por mais oportunidades e por isso mais emprego. 

 

O mais preocupante é a taxa de desemprego jovem que continua muito elevada. 

 

Desemprego em Portugal e na Europa. 

 

O desemprego na Europa manteve-se nos 12% em Agosto, enquanto que Portugal está nos 16,5%. De destacar que a Alemanha tem apenas 5,2% de desemprego que só é ultrapassado pela Áustria com 4,9%.

 

A "boa noticia" é que não somos os piores, havendo países com taxas de desemprego muito mais elevadas, a Grécia que é líder no desemprego tem uma taxa de 27,9% seguindo-se a Espanha com 26,2%. Portugal é o quinto país com a taxa mais elevada da U.E, o que não será mau de todo, uma vez que passamos por uma crise financeira, temos uma divida enorme e uma economia que para muitos é considerada fraca.

 

É preciso é saber onde está esse emprego que não nos mantêm no top do desemprego, será que está no estado e na função pública? E se assim for, será que é bom os últimos acontecimentos que impediram os despedimentos da função pública? será que nos estamos a endividar ainda mais para pagar e manter os postos da função pública? Ou será que isso não faz sentido, e a nossa economia não é assim tão fraca?

 

O que acham? 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:52

Até que ponto a democracia não nos levou à situação actual?

por ., em 07.08.13

 

 

Hoje vou falar sobre os perigos da democracia e como a democracia pode nos ter levado à situação de crise que vivemos. 

 

 

Em democracia existe partidos que nos representam que são eleitos por nós, facilmente se percebe que existe uma tendência por parte dos partidos em prometer o que não podem cumprir antes das eleições (mentem à população para conseguirem votos e ir para o governo), deste ponto de vista, muitas vezes a democracia leva à mentira mas pior do que isso a esconder a realidade à população. 

 

 

Um exemplo que me parece obvio é a situação da ilha da Madeira. Alberto Jardim está como presidente da ilha da Madeira à 35 anos consecutivos, e como é que ele conseguiu essa proeza? 

 

Tenho alguns amigos Madeirenses e todos me dizem que o presidente tem conseguido fazer muita obra para a ilha, que se vê as coisas a serem feitas. 

 

E esse pode ser o grande perigo da democracia, fazer obras à maluca, gastar dinheiro, esconder a situação financeira real, para apenas conseguir votos e mais votos e assim se manter 35 anos no poder, mas quais são as consequencias?

 

Antes da entrada das instituições internacionais no nosso país todo estava bem para a ilha, mas com compressões por parte da troika em saber a real situação financeira do país, descobre-se um buraco enorme que todos nós vamos pagar. Mas o pior é saber que muitas das obras não tem qualquer utilidade para o povo da ilha da Madeira e que apenas serviu para gastar dinheiro e para o sr Alberto Jardim aparecer nas inaugurações, e para que? para obter mais votos escondendo a situação real da Ilha. 

 

deixo aqui um vídeo que retrata bem o que estou a falar. 

 

Jardim gastou milhões em obras que não são usadas - Jornal Expresso

 

 nota: o vídeo é de 2011

 

 

 

Hoje saiu uma noticia em que Alberto Jardim diz que não vai aplicar as 40 horas na ilha da Madeira e que "a saída legal para isto hei-de encontrar com a minha imaginação e depois de se falar com o sindicato da Função Pública".


http://rr.sapo.pt  

 

 

Como é obvio eu não sou contra a democracia, pelo contrario, mas o que eu quero dizer é que se é permitido tudo em democracia por parte de quem está no governo ou de quem pretende ir, a situação não pode ser outra se não a situação em que vivemos, principalmente se essas pessoas não são responsabilizadas pelo que fizeram. 

 

Eu acredito que se não tivéssemos aqui a troika tudo estava bem (swaps para esconder o défice, mais ilegalidades, aumento da divida para números insuportáveis .... sem conhecimento da população), ou melhor, andamos assim até ao limite e se não continuamos com as mesmas politicas é porque chegamos a uma situação em que já não tínhamos dinheiro ( ou melhor, esse dinheiro já não era nosso, porque dinheiro nosso já não temos há muitos anos) e que ninguém nos emprestava. 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:39

Função pública vai trabalhar mais 2 meses por ano.

por ., em 29.07.13

 

 

A função pública vai ter que trabalhar as 40 horas semanais o que representa quase 2 meses a mais por ano, ou seja, a função pública andou a trabalhar 2 meses a menos por por ano do que era normal. 

 

Não consigo perceber, começo a ter raiva da função pública... No privado as pessoas trabalham 8 horas por dia e no público não pode ser porque? no privado trabalha-se mais e ganha-se menos e porque? 

 

Pior é ver as manifestações a dizer que os trabalhadores não aguentam as 40 horas e que estão cansados....

 

enfim, acabar com estas regalias que levaram a quase falência de Portugal é urgente. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:20

Alguém me explica. Acabar com barbeiros exclusivos da Carris e oferecer 12€ mensais aos trabalhadores (independentemente de serem carecas)

por ., em 11.07.13

 

 

Como é que essas coisas podem acontecer? por favor alguém me explique.

 

Não tenho dúvidas que o principal motivo que nos levou a onde estamos foi culpa dos governos, partidos, sindicatos ....

 

 

 

É triste, ver as noticias e o que se discute é politica, quem vai governar, quem dos partidos tem mais poder, se vão chegar a um acordo ou não.... Estas coisas é só uma perda de tempo e o único objectivo dos políticos é defenderem os seus interesses, mais nada. 

 

O que eu gostaria de ver nas noticias era, os partido x tem este conjunto de alternativas, o partido y apresenta uma excelente alternativa às politicas do governo atual, o governo atual consegui um acordo com vários investidores externos, que se vai traduzir num investimento em Portugal de xxx mil milhões...  

 

E os sindicatos, ainda agora me fartei de rir com a seguinte noticia: Trabalhadores da Carris querem 12 € por mês para cortar cabelo

 

Não, não é uma piada é mesmo verdade, ao que parece os trabalhadores da Carris tinham "a empresa dispõe nas suas instalações de barbearias apetrechadas para uso exclusivo e privativo dos seus trabalhadores, incluindo reformados".


E a Carris quer apresentar a seguinte proposta


Em destaque está a proposta dos representantes dos trabalhadores da Carris no sentido de se proceder ao encerramento das barbearias da empresa, em troca de um pagamento mensal no valor de 12 euros a cada trabalhador para assegurar o corte de barba ou cabelo."


A minha dúvida é? Esta proposta não será injusta? então e os carecas vão beneficiar de 12€ para cortar o cabelo? Não faz sentido. 


 

Este blog, o que tem mais é criticas à função pública, nomeadamente às regalias da função pública. Mas ou eu vivo noutro mundo, ou não faz sentido sequer haver noticias destas... como é possível em tempos de crise ainda se fazer uma proposta para acabar com os barbeiros para uso exclusivo, mas pior, em contrapartida oferecer 12€ para os senhores irem cortar o cabelo. 

 

Enquanto isso acontece, Portugal é um dos países mais envelhecidos do mundo e um dos países que menos gasta ( em %) nos cuidados às pessoas idosas dos países da OCDE.  Mas o mais estranho é gastar dinheiro nessas merd$% de regalias da função pública. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:20



"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo."

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Posts mais comentados