Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


As novas propostas do governo Grego.

por ., em 24.02.15

Num dos post anteriores referi que o novo governo grego entrou da pior maneira, isto porque ganhou as eleições com promessas eleitorais que não podia cumprir.  Post de opinião

 

Nas novas proposta apenas poderia optar por: 

- Austeridade ( caminho mais fácil)

- Focar-se no problema ( como a corrupção)

- Sair do Euro

 

Na carta de intenções que a Grécia apresentou, parece que a escolha vai para a austeridade, do problema pouco se fala. Do que estive a ler das intenções do governo grego não existe nada de muito especifico, não se entra em grandes detalhes, a linguagem usada é de optimismo (mesmo que o resultado não seja muito animador) talvez para não assustar os gregos.

 

Despesa pública

Pois bem, parece que vai haver cortes na Saúde, na Educação, nas Autarquias e Benefícios Sociais, mas isto tudo vai ser bom pois vai melhorar a qualidade dos serviços médicos, assegurar o acesso universal aos serviços públicos - Parece  um contraditório, optimismo para disfarçar austeridade. 

Rever e controlar a despesa pública em todos os sectores (educação, defesa, transportes, autarquias e benefícios socais). Identificar poupanças em todas as áreas e racionalizar as despesas que não as de salários e de pensões- que o governo grego classifica de "espantosas" e quantifica em 56% da despesa total. Implementar legislação para o conseguir. Controlar a despesa com saúde e melhorar a qualidade dos serviços médicos. Assegurar o acesso universal ao serviços público de saúde.

 

 

Política fiscal

Reformar o IVA, racionalizar as taxas do IVA para maximizar as receitas, ou seja aumentar do IVA. Mas sem meter em causa um impacto negativo em termos de justiça social. Mais uma vez, parece austeridade disfarçada com otimismo para os gregos.


Reformar o IVA. O objectivo é promover o combate à fraude e evasão fiscais. O IVA será "racionalizado" no que toca às taxas deste imposto. Para isso, as taxas serão racionalizadas de uma forma que permita maximizar as receitas sem que isso provoque um impacto negativo em termos de justiça social, e que ao mesmo tempo limite as excepções existentes, ao eliminar vantagens consideradas que não sejam consideradas razoáveis. Rever códigos fiscais no investimento e no imposto sobre o rendimento. Alargar a definição de fraude e evasão fiscais, acabando com regras sobre imunidade fiscal.

 

Pensões

Corte nas pensões e nos incentivos à reforma antecipada ( existia incentivos?). Estabelecer um ligação entre os descontos e os rendimentos ( ou seja cortes significativos nas pensões). 

O governo grego compromete-se a rever o sistema de pensões com o objectivo de o modernizar. Para isso, vai unificar e racionalizar as políticas dirigidas ao sistema de pensões e eliminar os incentivos exagerados à reforma antecipada em toda a economia e, principalmente, no sector público e bancário. Consolidar os fundos de pensões de forma a obter poupanças. Estabelecer uma ligação (próxima) entre os descontos para o sistema de pensões e o rendimento, racionalizando benefícios, reforçando os incentivos para que o trabalho remunerado seja declarado e providenciando assistência aos empregados entre os 50 e os 65 anos.

 

Corrupção

No maior problema grego, não se diz nada de concreto (ainda diz menos), não diz o que vai fazer, mas diz que o combate à corrupção vai ser um prioridade a nível nacional, mas o que é que ele vai fazer? Talvez vá um Audi a concurso para quem pedir faturas? 

 

O Executivo quer transformar o combate à corrupção numa prioridade nacional, pondo em funcionamento um plano nacional. O Governo propõe-se a quantificar metas de receita decorrente da luta contra a corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de tabaco e combustíveis.

 

Administração Pública

Corte nos salários e não aumentar os salários como tinha prometido. 

O Governo propõe-se a reformar a tabela salarial do Estado para descomprimir a actual distribuição salarial - "Racionalizar" - palavra que normalmente significa "cortar" - os benefícios em espécie para os funcionários públicos. O Governo vai reduzir o número de ministérios (de 16 para dez), o número de consultores externos do Governo, os benefícios salariais em espécie de todos os titulares de cargos públicos.

 

Reformas laborais

Expandir as politicas ativas de emprego como o trabalho temporário - Trabalho precário. 


Expandir as políticas activas de emprego, como as que oferecem trabalho temporário e a prazo a pessoas desempregadas. Melhorar os programas de formação e reactivação de desempregados de longa duração. Sobre o salário mínimo, o Governo admite que a subida gradual é um objectivo, mas diz que será feita em concertação com os parceiros sociais e as instituições europeias e internacionais (a troika) - a ideia é subir de acordo com ganhos de produtividade. 

 

Combate à pobreza

Prestações sociais em espécie como senhas para trocar por alimentos - Esmolas para quem tem fome. 


O Governo mantém a sua intenção de minorar o impacto do aumento da pobreza nos últimos anos - mas assume que este combate à pobreza não terá impacto orçamental negativo. O pilar nesta área parecem ser prestações sociais em espécie (como senhas para trocar por alimentos, por exemplo). O Governo sugere a intenção de estender a todo o país o projecto piloto de Rendimento Mínimo Garantido.

 

O governo grego entrou da pior maneira, prometeu mais benefícios ( aumento de salários, contratação para a função pública, menos impostos) sabendo que não podia cumprir, ganhou as eleições através de promessas eleitorais ridículas. Como é possível alguém ganhar eleições num país extremamente endividado, que não tem dinheiro, que sobrevive com dinheiro emprestado, vir dizer que vai aumentar a divida e a solução é não pagar a divida que já tem e ao mesmo tempo quer mais dinheiro emprestado. 

 

Acho que a Europa não é solidária, que a União Europeia de união tem muito pouco (União Alemã), mas é estúpido não querer pagar a divida que se tem e ao mesmo tempo pedir mais dinheiro a essas mesmas entidades. Ninguém, nenhuma instituição vai emprestar dinheiro a quem lhes deve e promete não pagar o que deve - opá é lógico

 

Como referi num dos post anteriores, era necessário medidas para combater o problema, focar-se no problema e não em como manter o problema. O grande problema é a corrupção, e é nesse problema que se devem focar e só depois nos outros problemas como aumentar a produtividade. 

 

O governo  grego começou da pior maneira, tinha a oportunidade de apresentar propostas para combater o problema, mas apostou no caminho mais fácil, o da austeridade. Por isto tudo acho que este governo não é a solução. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:10

Michelin fabrica pneus sem ar que nunca furam

por ., em 08.01.15


Com os Tweel da Michelin  da Michelin ter um furo já não vai ser um problema, uma vez que se tratam de pneus que não usam ar, automaticamente fazendo com que sejam imunes a "furos". E contrariamente aos pneus maciços que também são usados em circunstâncias específicas, continuam a ter excelentes características de amortecimento, idênticas ou superiores aos pneus com ar.

A Michelin já tinha revelado estes pneus há alguns anos, mas só recentemente passou à fase de produção. 

fonte e noticia completa em: http://abertoatedemadrugada.com/

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28

Saiba qual o desemprego e emprego por curso

por ., em 10.12.14

 

A área de curso, a escola ou o local do curso pode influenciar e muito o teu futuro. Para te ajudar a fazer a escolha acertada a AppsCot criou o site PorCurso.pt que permite analisar o desemprego e emprego em várias áreas (cursos) e por universidades.

 

Este site recorre a dados cruazados da DGEEC e IEFP, com recurso a infografias interactiva que nos vão mostrar se um curso tem boa empregabilidade ou não e que universidades colocam mais alunos formados no mercado de trabalho,

 

Visita o site gratuitamente em http://porcurso.pt/desemprego

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:59

Super-carro que apenas precisa de água salgada para se mover.

por ., em 27.07.14

 

Um dos meus últimos post apresento um carro da marca Honda que apenas produz água não sendo poluente 

Honda FCX: O carro ecológico que produz água potável pelo tubo escape.

 

Hoje apresento um carro que utiliza como combustivel água salgada... amo a tecnologia. :)

 

"Um super-carro com mais de 900cv que não precisa de ser recarregado em casa, e que precisa apenas de água salgada para circular por mais de 600Km de cada vez? É isso que este Quant e-Sportlimousine promete, embora não seja previsível que chegue ao mercado tão cedo quanto gostaríamos."

 

 

"Com quatro motores eléctricos (um para cada roda) este automóvel tem uma potência total de 925cv e acelera dos 0 aos 100Km/h em apenas 2.8s. E se por fora este automóvel impressiona pelo seu design (e dimensões, com mais de 2 metros de largura e 5 de comprimento)."

 

ler noticia completa : http://abertoatedemadrugada.com/

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:53

61 concelhos onde existe mais reformados do que pessoas em vida ativa.

por ., em 20.12.13

 

Em Vinhais, Penamacor e Idanha-a-Nova só 29% ganham a vida através do trabalho. 

 

Este será o futuro, já falei sobre esse tema várias vezes no blog. Acredito que este vai ser o grande problema no futuro de Portugal que se deveria estar a combater agora em vez de impulsionar este acontecimento mais rapidamente. 

 

Portugal é o sexto país mais envelhecido do Mundo

Em 2060 mais que 32% da população portuguesa vão ser velhos.

 

A Marktest divulgou uma análise aos dados censitários que o INE compilou em 2011 e apurou que há 61 concelhos onde são mais os que têm na reforma a sua fonte de sustento do que no trabalho. Entre estes destacam-se os concelhos referidos no título: Vinhais, Penamacor e Idanha-a-Nova por terem uma população tão envelhecida que a população ativa empregada está em clara minoria apresentando-se como uma raridade em vias de extinção.

 

A dicotomia litoral interior é evidente e os Açores destacam-se por terem alguns dos concelhos onde o peso da população a viver de pensões é mais baixo. Uma realidade que não constitui propriamente uma novidade.

 

link

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26

Galaxy Gear -Relógio inteligente da Samsung é ‘apresentado’ em vídeo

por ., em 23.08.13

 

 

O Galaxy Gear, suposto nome do relógio inteligente da Samsung, ganhou imagens em 3D em um vídeo. A sequência mostra o design do gadget e alguns de seus recursos, como o comando de voz e a tela flexível de 2 polegadas, quando fechado. Segundo informações que andam a circular , o aparelho deve receber funções como medir a frequência cardíaca, acompanhar a perda de calorias, ligar o visor do aparelho com o olhar do usuário, entre outras.

 

Suposta aparência do relógio inteligente da Samsung (Foto: Reprodução/T3)

 

 

 

Equipado com Android, o dispositivo virá equipado com sensores de movimento, tela flexível, alto-falantes embutidos em sua pulseira e integração com outros produtos da linha Galaxy.

 

 

 

 

 

fonte: globo.com

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Em 2060 mais que 32% da população portuguesa vão ser velhos.

por ., em 21.06.13

 

Começa a ser triste a situação e as preocupações de Portugal. 

 

Segundo algumas provisões, em 2060 mais que 32% da população portuguesa vai ter mais que 65 anos, este número atualmente está nos 19% e já é preocupante. Atualmente Portugal já é considerado uma dos países mais envelhecidos do mundo, em 2060 consegue ganhar a medalha de ouro sem dúvida. 

 

 

Apesar disso, Portugal vai continuar a ter os 10 milhões de pessoas, a única diferença é que a população vai ser composta em grande parte por pessoas com mais de 65 anos. 

 

 

E qual é que é o grande problema? Bem, o grande problema é que vamos ter cada vez menos pessoas na vida ativa e o sistema da segurança social não poderá funcionar da mesma maneira que funciona actualmente, sabemos que para além das reformas, o sistema de saúde também vai ser muito influenciado, uma vez que são os idosos que mais recorrem aos serviços de saúde. 

 

Para Portugal conseguir mudar o rumo da situação, cada mulher deveria ter mais que 2 crianças, e a verdade é que todos nós sabemos que isso não acontece, nem vai acontecer nos próximos tempos e a tendência ainda é para piorar. 

 

 

O que está a acontecer, são coisas tão preocupantes como, a taxa de natalidade estar em mínimos históricos, nunca houve tão poucas crianças a nascer.

 

Mas porque é que isso acontece?

 

Eu falo por mim, tenho 24 anos e não penso em ter filhos nos próximos tempos, adorava ser Pai, mas actualmente as minhas grandes preocupações são a vida profissional, preferio não ser Pai se não tiver a estabilidade que devo ter.

 

A instabilidade com que os jovens hoje vivem, a emigração de grande parte dos jovens portugueses, são factores mais que decisivos, mas não só. 

 

A verdade é que houve uma grande mudança de culturas, hoje a maioria dos jovens dão mais importância à vida profissional do que há alguns anos. Hoje o papel da mulher é completamente diferente, as jovens actualmente são qualificadas, estudaram anos e anos e foram sempre orientadas para o trabalho e nunca para a família nem para o papel de mãe. 

 

Outra possível causa é que em tempos, o nascimento de uma criança era visto como uma fonte de riqueza, hoje é visto como uma fonte de despesa. 

 

Mas nem tudo é mau. 

 

Felizmente nem tudo é mau, para tentar diminuir o rumo da situação é necessário abrir portas a mais imigrantes, sim, a única coisa que pode retardar um pouco o envelhecimento da população são os imigrantes. Por isso comecem a olhar para os brasileiros, angolanos, cabo verdianos, chineses, entre outros como o futuro de Portugal.

 

Atualmente a população estrangeira representa cerca de 4% da população residente em Portugal, e estes sim estão se a reproduzir.  

 

Ora se a população estrangeira total que reside em Portugal é de apenas 4% e contribui com 13% para a taxa de natalidade, o futuro de Portugal vai passar pelos estrangeiros, esperamos que estes não se vão embora, porque se assim for, em 2060 não vai haver 32%  de velhos, mas muitos e muitos mais e não vai haver pessoas em vida ativa. 

 

Uma vez que os Portugueses não se estão a preocupar com os jovens, estes estão se a ir embora de Portugal, ou muitos também não se vão preocupar com quem não se preocupou com eles no passado, é bom começar a olhar para os estrageiros de outra forma, se não, estes não nos vão ajudar quando mais precisarmos. 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11



"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo."

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Posts mais comentados