Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Na politica, o que se diz hoje, amanhã já é mentira.

por ., em 13.10.15

Em 2009 Costa tinha o discurso do vídeo abaixo, que até parece o inverso do que está a fazer atualmente. 

 

 

Apesar disso, eu não vejo mal nenhum o facto de António Costa estar a negociar ou debater ideias com os outros partidos, até acho bem. 

 

O que eu não acredito é que António Costa consiga criar governo com a esquerda que o criticava, esquerda que passou a campanha toda a dizer que não existia diferenças entre PS e PSD. 

 

Mas a verdade, as maiores diferenças nas propostas de campanha foram mesmo entre os vários partidos de esquerda.... Nas ideias quem está mais próximo é mesmo o PS e PSD. 

 

É impossível criar governo com tamanhas diferenças na esquerda, com propostas de campanha referentes à saída do euro e o seu inverso... Na verdade na politica tudo é possível, e o que se disse em campanha contra o PS agora já não conta.

 

Eu não entendo o que se define como "direita" ou como "esquerda" o que me interessa são as ideias para o país.

 

E o que é melhor para o país? fu*k isso é o que menos interessa na politica quando se trata de poleiro. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:22

As novas propostas do governo Grego.

por ., em 24.02.15

Num dos post anteriores referi que o novo governo grego entrou da pior maneira, isto porque ganhou as eleições com promessas eleitorais que não podia cumprir.  Post de opinião

 

Nas novas proposta apenas poderia optar por: 

- Austeridade ( caminho mais fácil)

- Focar-se no problema ( como a corrupção)

- Sair do Euro

 

Na carta de intenções que a Grécia apresentou, parece que a escolha vai para a austeridade, do problema pouco se fala. Do que estive a ler das intenções do governo grego não existe nada de muito especifico, não se entra em grandes detalhes, a linguagem usada é de optimismo (mesmo que o resultado não seja muito animador) talvez para não assustar os gregos.

 

Despesa pública

Pois bem, parece que vai haver cortes na Saúde, na Educação, nas Autarquias e Benefícios Sociais, mas isto tudo vai ser bom pois vai melhorar a qualidade dos serviços médicos, assegurar o acesso universal aos serviços públicos - Parece  um contraditório, optimismo para disfarçar austeridade. 

Rever e controlar a despesa pública em todos os sectores (educação, defesa, transportes, autarquias e benefícios socais). Identificar poupanças em todas as áreas e racionalizar as despesas que não as de salários e de pensões- que o governo grego classifica de "espantosas" e quantifica em 56% da despesa total. Implementar legislação para o conseguir. Controlar a despesa com saúde e melhorar a qualidade dos serviços médicos. Assegurar o acesso universal ao serviços público de saúde.

 

 

Política fiscal

Reformar o IVA, racionalizar as taxas do IVA para maximizar as receitas, ou seja aumentar do IVA. Mas sem meter em causa um impacto negativo em termos de justiça social. Mais uma vez, parece austeridade disfarçada com otimismo para os gregos.


Reformar o IVA. O objectivo é promover o combate à fraude e evasão fiscais. O IVA será "racionalizado" no que toca às taxas deste imposto. Para isso, as taxas serão racionalizadas de uma forma que permita maximizar as receitas sem que isso provoque um impacto negativo em termos de justiça social, e que ao mesmo tempo limite as excepções existentes, ao eliminar vantagens consideradas que não sejam consideradas razoáveis. Rever códigos fiscais no investimento e no imposto sobre o rendimento. Alargar a definição de fraude e evasão fiscais, acabando com regras sobre imunidade fiscal.

 

Pensões

Corte nas pensões e nos incentivos à reforma antecipada ( existia incentivos?). Estabelecer um ligação entre os descontos e os rendimentos ( ou seja cortes significativos nas pensões). 

O governo grego compromete-se a rever o sistema de pensões com o objectivo de o modernizar. Para isso, vai unificar e racionalizar as políticas dirigidas ao sistema de pensões e eliminar os incentivos exagerados à reforma antecipada em toda a economia e, principalmente, no sector público e bancário. Consolidar os fundos de pensões de forma a obter poupanças. Estabelecer uma ligação (próxima) entre os descontos para o sistema de pensões e o rendimento, racionalizando benefícios, reforçando os incentivos para que o trabalho remunerado seja declarado e providenciando assistência aos empregados entre os 50 e os 65 anos.

 

Corrupção

No maior problema grego, não se diz nada de concreto (ainda diz menos), não diz o que vai fazer, mas diz que o combate à corrupção vai ser um prioridade a nível nacional, mas o que é que ele vai fazer? Talvez vá um Audi a concurso para quem pedir faturas? 

 

O Executivo quer transformar o combate à corrupção numa prioridade nacional, pondo em funcionamento um plano nacional. O Governo propõe-se a quantificar metas de receita decorrente da luta contra a corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de tabaco e combustíveis.

 

Administração Pública

Corte nos salários e não aumentar os salários como tinha prometido. 

O Governo propõe-se a reformar a tabela salarial do Estado para descomprimir a actual distribuição salarial - "Racionalizar" - palavra que normalmente significa "cortar" - os benefícios em espécie para os funcionários públicos. O Governo vai reduzir o número de ministérios (de 16 para dez), o número de consultores externos do Governo, os benefícios salariais em espécie de todos os titulares de cargos públicos.

 

Reformas laborais

Expandir as politicas ativas de emprego como o trabalho temporário - Trabalho precário. 


Expandir as políticas activas de emprego, como as que oferecem trabalho temporário e a prazo a pessoas desempregadas. Melhorar os programas de formação e reactivação de desempregados de longa duração. Sobre o salário mínimo, o Governo admite que a subida gradual é um objectivo, mas diz que será feita em concertação com os parceiros sociais e as instituições europeias e internacionais (a troika) - a ideia é subir de acordo com ganhos de produtividade. 

 

Combate à pobreza

Prestações sociais em espécie como senhas para trocar por alimentos - Esmolas para quem tem fome. 


O Governo mantém a sua intenção de minorar o impacto do aumento da pobreza nos últimos anos - mas assume que este combate à pobreza não terá impacto orçamental negativo. O pilar nesta área parecem ser prestações sociais em espécie (como senhas para trocar por alimentos, por exemplo). O Governo sugere a intenção de estender a todo o país o projecto piloto de Rendimento Mínimo Garantido.

 

O governo grego entrou da pior maneira, prometeu mais benefícios ( aumento de salários, contratação para a função pública, menos impostos) sabendo que não podia cumprir, ganhou as eleições através de promessas eleitorais ridículas. Como é possível alguém ganhar eleições num país extremamente endividado, que não tem dinheiro, que sobrevive com dinheiro emprestado, vir dizer que vai aumentar a divida e a solução é não pagar a divida que já tem e ao mesmo tempo quer mais dinheiro emprestado. 

 

Acho que a Europa não é solidária, que a União Europeia de união tem muito pouco (União Alemã), mas é estúpido não querer pagar a divida que se tem e ao mesmo tempo pedir mais dinheiro a essas mesmas entidades. Ninguém, nenhuma instituição vai emprestar dinheiro a quem lhes deve e promete não pagar o que deve - opá é lógico

 

Como referi num dos post anteriores, era necessário medidas para combater o problema, focar-se no problema e não em como manter o problema. O grande problema é a corrupção, e é nesse problema que se devem focar e só depois nos outros problemas como aumentar a produtividade. 

 

O governo  grego começou da pior maneira, tinha a oportunidade de apresentar propostas para combater o problema, mas apostou no caminho mais fácil, o da austeridade. Por isto tudo acho que este governo não é a solução. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:10

Sócrates, para quem tem memoria curta eu relembro.

por ., em 08.02.15

 

- Culpo este governo (governo atual)  por favorecer os mais fortes, por não lutar contra a corrupção, não criar politicas anticorrupção que sejam igual para todos, por não terminar com as regalias de alguns grupos económicos e de alguns profissionais do sector público, por não baixar a despesa do estado onde existe margem para baixar (que implica acabar com regalias), por ter deixado a justiça na mesma forma que a encontrou - uma m@rd*. 

 

- Este governo deixou a educação mais frágil (de forma incompreensível e por falta de competência). 

 

Mas este governo está a conseguir ultrapassar uma enorme crise financeira que foi deixada em especial pelo senhor que se segue (mas não só). Mas o grande mérito de não estarmos numa situação pior não é deste governo, este governo apenas segui o caminho mais fácil, obedecer às entidades externas mesmo implicando mais sacrifícios para os Portugueses. 

 

Resumindo, este governo pouco ou nada fez de util, apenas obedeceu às entidades externas prejudicando os Portugueses. Mas e se fosse o senhor que se segue?

 

Deixo um vídeo para quem culpa este governo de ter aumentado os impostos e de ter seguido o caminho da austeridade. Este vídeo já é antigo, a este vídeo pode-se acrescentar a atualidade que todos nós já conhecemos....  Fico revoltado quando ainda vejo pessoas a defender o Sr. Sócrates. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:45

Governo quer cobrar até €1.180 por licenças para fotografar e filmar em áreas naturais protegidas (EUA)

por ., em 12.10.14

Não é só em Portugal que o governo pretende taxar tudo e mais alguma coisa, e por vezes de forma incompreensível. 

 

 

O Departamento das Florestas dos Estados Unidos quer implementar taxas para fotografar e filmar em áreas protegidas do território nacional. Ao abrigo desta regulação, que está já a ser aplicada temporariamente, vai ser permitida – sem necessidade de licença – a fotografia amadora, bem como fotografia para notícias de última hora dos meios de comunicação.

 

Contudo, a recolha de imagens, tanto fotografia como vídeo, para fins comerciais – quer seja para blogues, reportagens ou outros fins lucrativos – vão necessitar de uma licença, que pode custar até €1.180. As multas para os infractores podem chegar aos €788.

A regulação temporária já vigora há cerca de quatro anos, mas vai ser agora efectivada em Novembro próximo.

 

fonte: http://greensavers.sapo.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:02

E tu, o que achas do Marinho Pinto?

por ., em 05.10.14

Estive a ver um video no blog http://apodrecetuga.blogspot.pt/ sobre o Marinho Pinto e fiquei a pensar.

 

Será que é desta que não vou votar em Branco e tenho alguém para votar, ou será que é mais do mesmo e não vou gastar tinta da caneta em eleições. 

 

 

 

Eu acho que o jornalista no geral esteve bem. É necessário perceber quais as reais intenções do Sr. Marinho Pinto, podem ser óbvias, mas eu já não acredito em nenhum politico ou alguém com essa ambição.  Dizer que os Orgãos de soberania ganham pouco e que deveriam ganhar uns 4 000€ acho bizarro. Concordo que eles  ganham pouco se comparado com outros países, mas o ordenado que eles recebem é mais do que injusto por aquilo que não fazem e deveriam fazer. Só o facto de pensar em aumentar o ordenado dos Orgãos de soberania num país em que o ordenado mínimo é de 500€ e para quem recebe esses 500€ tem de trabalhar no duro.

 

Depois se fizermos uma pequena comparação com a Europa vimos que os nossos políticos são os que ganham menos, mas isso não é óbvio e lógico? tem de estar de acordo com os rendimentos da população, por exemplo, em Portugal o ordenado mínimo é de 500€ e em França é de 1400€, seria justo o deputado Português receber o mesmo que um Francês? Já nem estou a referir-me a todas as regalias que eles tem e devem ser tidas em conta. 

 

Espero que o Marinho Pinto não tenha intenções de melhorar a qualidade de vida dos Orgãos de Soberania e para isso utilizar a jogada politica comum, fazer-se passar pelo grande Salvador da Nação e dos mais pobres. 

 

Eu quero acreditar neste senhor.... mas.... 

 

E qual é a vossa opinião?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:40

Lei da Cópia Privada - Um imposto inventado para roubar a população.

por ., em 21.08.14

 

Existem coisas que apesar de fraude se consegue justificar e encontrar argumentos. Mas neste caso não existe argumentos ou justificação possível. 

 

Foi hoje aprovado, em Conselho de Ministros, uma proposta de lei referente à chamada cópia privada. Quem comprar um artigo onde se possa gravar (mesmo que não se grave) qualquer obra que tenha direitos de autor paga uma taxa. O objetivo é distribuir o valor dessa taxa pelos artistas. "A estimativa de cálculo do Governo é que possa conseguir-se 15 a 20 milhões de euros sendo esse montante posteriormente distribuído pelos autores/artistas”."

 

Esta lei contemplava a reprodução de obras e respectivos suportes (ex. CD, DVD) mas, nesta Era Digital, o Governo quer incluir novos equipamentos que permitam o armazenamento de informação, como é o caso dos discos rígidos, telemóveis, tablets, pens USB, SSDs, Set-top boxes, entre outros.

 

 

Para termos uma ideia, no caso das pensUSB, cartões de memória e discos rígidos, a taxa será de 6 cêntimos por cada gigabyte de capacidade de armazenamento. Já os CDs e DVDs não regraváveis serão agravados em 3 cêntimos por cada GB, enquanto os regraváveis terão uma taxa de 5 cêntimos por cada GB.

 

Especificamente, aos set-top boxes, telemóveis, tablets, MP3 e MP4, e discos multimédia, é aplicada uma taxa máxima de 25 euros. Em todas as outras categorias abrangidas, desde computadores, pens, ou cartões de memória, no máximo são cobrados 10 euros adicionais.

 

fonte: pplware.sapo.pt

 

Mas e se eu comprar um Smartphone que não seja para ouvir músicas piratas? Ou se eu quiser comprar uma pen apenas para o trabalho? ou se eu quiser comprar um DVD para gravar vídeos de família e fotos particulares? tenho que pagar uma taxa para direitos de autor? Para não falar que tenho curiosidade para saber como vai ser distribuído esses 20 milhões que se espera ter de receitas, vai para mais uma instituição de tachos do governo, que diz defender os artistas mas que apenas fica com os milhões?

 

Tendo eu um blog e havendo a possibilidade de alguém copiar o conteúdo do blog para uma pen, quero também parte desse dinheiro para defender os meus direitos de autor. =)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:58

Mais um subida de impostos mas que desta vez sossega os manifestantes.

por ., em 03.05.14

 

Depois do ministro ter anunciado mais um aumento de impostos (no IVA) e de mais uma taxa (taxa de sustentabilidade) todo fazia a querer que os Portugueses viessem para a rua, que os sindicatos protestassem e os partidos da oposição não aceitassem estas novas medidas. 

 

Mas isso não acontece, porque à medida que se vai descobrindo a intenção do governo todos se vão calando e "apoiando" as novas medidas, isto porque? 

 

Estas novas medidas vão sobretudo favorecer os já favorecidos. Com esta nova medida que todos vamos ter que suportar (aumento do iva) vai ser para favorecer quem tem reformas entre os 1.200 e 4.631 euros, deixando este grupo a contribuir menos de 289 milhões de euros. 

 

"Os pensionistas que recebem pensões de valor intermédio (entre os 1200 e os 4600 euros) serão os principais beneficiados com a nova Contribuição de Sustentabilidade, que substituirá, em 2015, a Contribuição Extraordinária de Solidariedade."

 

 

Renascença pediu ao economista Miguel Coelho, especialista em Segurança Social para explicar as novas medidas,

 

"Para uma pensão de 1200 euros, exemplifica, o ganho mensal que um pensionista terá face ao regime actual situa-se nos 42,86% - isto é, pagará menos 18 euros de contribuição para o Estado do que actualmente, com a CES. Se a pensão se situar nos 4.631 euros, esse ganho será de 65% (cerca de 300 euros), refere o especialista."

 

fonte : http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=24&did=147303

 

Ou seja, vamos andar a pagar mais de IVA para que haja uma contribuição menor dos que ganham 1200 a 4600 de pensões. 

 

E a minha pergunta inicial está esclarecida, não existe manifestações, os sindicatos e partidos da oposição não se vão revoltar porque são estes que estão no escalão de 1200 a 4600€ que vão beneficiar. 

 

Sendo que a média das pensões na função pública é de 1.263,51 euros (curioso que quem vai beneficiar são quem recebe mais de 1200 euros?!) e são estes os ÚNICOS que se manifestam nas ruas através dos sindicatos, o governo deu-lhes mais um mimo para se calarem, mimo esse que todos vamos ter que pagar. 

 

A distribuição de rendimentos de forma equitativo (de forma igualitária) é um dos principais papeis do estado ( na teoria) que não se verifica nem hoje nem nunca se vai verificar, pelo contrario, o estado é um dos principais organismos que contribuiu e contribui para uma maior desigualdade entre a população. Relembrando que a média das pensões no privado é de 481€ e que para os funcionários públicos é de 1.263,51 euros. 

 

Sendo assim, e por ingenuidade minha, que referi neste post que a medida de um novo corte nas pensões mais altas era uma excelente medida, deixa de ter efeito, isto porque, tem um corte maior, mas parte desse dinheiro vai ser para pagar as pensões deste grupo, com o agravamente, que todos nós ainda vamos pagar essas mesmas pensões através do IVA, sendo que este grupo acaba no final por ser beneficiado. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:21

O TC chumbou e agora onde vamos buscar os 710 milhões?

por ., em 19.12.13

 

 

O diploma chumbado pelo Tribunal Constitucional - que apontava à convergência das regras das pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA) com as da Segurança Social - abre um ‘buraco' de cerca de 710 milhões de euros no Orçamento do próximo ano.

 

Essa era a poupança prevista pelo Governo com vista a atingir uma redução do défice até 4% do PIB em 2014. A convergência das pensões era uma das mais importantes fontes de consolidação no próximo ano.

 

E agora o que vamos fazer? onde vamos buscar os 710 milhões?

 

Será que vamos buscar esse dinheiro aos responsáveis dos 7 mil milhões que custou o BPN? ou dos responsáveis dos 6 mil milhões do buraco no sistema de saúde que beneficiou entidades privadas? talvez vamos buscar esse valor aos responsáveis de quem beneficiou com os swaps? ou talvez vamos buscar esse dinheiro à banca que temos andado a financiar? Fica a questão e a dúvida.

 

Uma coisa é certa, nunca e já mais se vai buscar aos mais fracos através de impostos e muito menos aumentar o iva nos produtos de de primeira necessidade.... 

 

 

Para aqueles que não perceberam, este texto foi realizado com muita ironia, e se vamos ser nós a pagar esses 710 milhões é porque assim primitimos e nada fazemos para meter fim a isto. 

 

 

Não penses que os políticos são os únicos corruptos, porque quem está a financiar a corrupção somos nós. 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:55

Mais um, O atual ministro dos negócios e estrangeiros também andou a comprar ações à lá Cavaco

por ., em 10.08.13

 

"O ministro dos Negócios Estrangeiros comprou acções do grupo BPN a menos de metade do preço pago pela fundação a que presidia há 12 anos."

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/machete-comprou-acoes-do-bpn-a-metade-do-preco=f825452#ixzz2bZNqSZ3D


Parece que é quase impossível encontrar algum politico, governante (...) sem situações suspeitas. Mas para que julgar este homem que comprou acções a menos de metade do preço pago pela fundação a que presidia, se o atual Presidente da Replica e que deve ser um exemplo também o fez. 


Na verdade são coisas normais aqui em Portugal, o resultado foi de  cerca  8,3 MIL MILHÕES que os portugueses vão ter que pagar.


Eu começo a perceber a teoria e na verdade tem lógica, é uma questão de equidade. 


Eu acho que quando se descobriu que Portugal estava a aumentar a divida de forma absurda, pensou-se, a próxima geração está lixada porque vai ter que pagar esta enorme divida, o que não é justo paras as outras gerações futuras, o melhor é aumentar mais a divida de forma a comprometer mais umas 4 ou 5 gerações de forma a ser mais justo e equitativo. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:40

Mais 6 mil milhões que vamos pagar e calar, desta vez o buraco vem da saúde? qual será a próxima área?

por ., em 04.08.13

 

No meu ultimo post falei sobre a dívida portuguesa ter sido aumentada nos últimos anos, em 2008 a nossa dívida estava de acordo com a média da UE, hoje é quase a segunda maior dívida da UE. Também referi que acredito  que a nossa divida real já não está de acordo com a média da UE à muitos anos antes de 2008, o que acontece é que tínhamos dividas escondidas. 

 

 

Pois bem, com a vinda das entidades internacionais houve pressões para fazer auditorias aos serviços públicos, e isso significa que grande parte das nossas dividas escondidas venham ao de cima. Acontece com a ilha da Madeira, com os transportes públicos e agora com o SNS. 

 

 

A ultima noticia é do SNS com um "buraco" superior a 6 mil milhões de euros até 2011. As conclusões dizem que a origem desta divida está nas parcerias públicas-privadas. 

 

O que eu pergunto é, porque é que estas noticias são públicas para a população? se ninguém se interessa com estas coisas. Porque é que este controle e essas auditorias são realizadas se ninguém é responsabilizado neste país?

 

 

Eu como jovem e que começo a entrar na realidade do país fico chocado com tamanha indiferença pela população sobre estas noticias, o facto de haver culpados e destes mesmos culpados fazem parte do governo ou de outros cargos de relevo e nada acontece. 

 

Esta sexta-feira o PSD e o CDS-PP chumbaram um projecto de resolução da autoria do Bloco quer propunha que o Tribunal de Contas elaborasse “uma auditoria às contas da Região autónoma da Madeira, com o objectivo de aferir o valor da dívida pública total, bem como os principais motivos de endividamento”.

- "Buraco" enorme na Ilha da Madeira que foi escondido até ás ultimas consequencias ( sendo que foi provado que existiu crime) - Responsáveis - 0, pessoas a serem responsabilizadas - 0, o que mudou - nada. 

 

"Madeira esconde buraco de 1.110 milhões de euros apenas nos últimos 3 anos"

 

 

- "bpn" - A maior fraude da banca que alguma vez existiu - Responsáveis - 35 pessoas foram acusadas de responsáveis, pessoas a serem responsabilizadas - essa informação não é fácil de encontrar, o que mudou - Cerca de 8,3 MIL MILHÕES que os portugueses vão ter que pagar. 


" Presidente da República Cavaco beneficiou 275 mil euros no caso BPN"

 


- SNS - "buraco" superior a 6 mil milhões de euros até 2011, Responsáveis - 0, pessoas que vão ser responsabilizadas - 0. 


- Caso dos submarinos ...


....


....

 

Caso do freeport....

...

 

....

 

.... Swaps... 

 

....

 

.... (podia estar aqui a escrever horas e horas, podia passar por as IPSS, pelo o Ensino, pela várias entidades da função pública... enfim)



 

Não percebo porque é que há tanta saída e praticamente todos eles viram profissionais de "sucesso" e as universidades não apostam nos cursos sobre corrupção, fraudes.... enfim, é melhor apostar em cursos da saúde, ou de gestão que não tem saída nenhuma, só mesmo em Portugal. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:23



"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo."

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Posts mais comentados